sexta-feira, 19 de março de 2010

Comentando as Parábolas de Jesus O Fermento na Massa


Mateus 13.33
33. Disse-lhes, por fim, esta outra parábola. O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha e que faz fermentar toda a massa.

Nesta parábola Jesus nos quer mostrar a força transformadora da Palavra de Deus na vida de todo aquele que crê. Basta um pouquinho de fermento para que o pão seja multiplicado.
Basta um simples gesto de amor, de atenção e de carinho acompanhado da mensagem de Deus para que o coração de uma criatura seja contaminada pelo poder do Criador.
A presença deste fermento é de fundamental importância para que a transformação possa ocorrer. Sem ele, nada pode acontecer.
Como o levedo não pode transformar a farinha na mesma hora em que nela é posto, assim também é o Reino dos Céus: o homem não se pode transformar, de simples e ignorante, em elevado e sábio de uma hora para outra.
As modificações ocorrem de maneira semelhante na vida daqueles que crêem. Uma vez misturado à farinha o fermento começará a agir e a provocar o crescimento da massa.
Com os que recebem a Palavra de Deus dá-se o mesmo. A sua vida se desestabiliza e muda de rumo e de sentido. Nada será como era antes. Uma nova luz se abre ao seu caminho e novas dimensões refazem o sentido de sua vida.
Antes do fermento da mensagem de Deus a vida era insossa, sem sentido, sem esperança, sem futuro, vazia, instintiva e animalizada. Uma vez fermentada um novo colorido alegra e ilumina o viver de cada criatura.
Os ingredientes que antes eram estáticos em si mesmos, uma vez misturados são dominados por uma energia transformadora que vem do alto.
É a força transformadora do Evangelho que irá transformar a vida de cada ser humano. Cada um daqueles que crêem deve se tornar também fermento a serviço do crescimento do Reino dos Céus. “Vós sois o sal da terra; vós sois a luz do mundo. Se o sal perde o seu sabor, para nada mais serve e pode ser jogado fora para ser pisado “ e se a luz não fornece a sua claridade o mundo continuará nas trevas. Devemos agir como este fermento que possui força transformadora que procede do Pai. Devemos anunciar a Boa Nova de Deus e dar os melhores exemplos, com atos positivos, para aumentar a fé em todas as pessoas que acolhem a Palavra de Deus.
Os fermentos da fé são o anúncio das verdades do evangelho, a vivência do amor fraterno, a prática da solidariedade e da misericórdia com todos aqueles que sofrem, o compromisso permanente com a verdade, com a justiça, com a paz em favor de nossos irmãos, a partilha e a comunhão do pão vivo descido do céu. Fazer ao próximo tudo aquilo que gostaria que ele nos fizesse.
Só quando agimos desta maneira é que Deus toca o coração dos homens para transformar suas vidas. Agindo assim seremos sal da terra, luz do mundo e fermento que transforma vidas.
Pesquisando na internet encontramos no site www.igrejasiao.com/portal/index o interessante estudo a seguir :
Mateus 13:33
Introdução
Jesus através da parábola do fermento nos ensina sobre o poder da contaminação. Assim como o fermento contamina a massa preparando-o para o bolo, assim o reino de Deus dentro de nós; ele nos contamina, nos transformando em novas “massas”, ou seja, novas criaturas.
A parábola
Jesus compara o reino de Deus como o fermento numa massa. Mateus 13.33. Ele começa dizendo que o reino de Deus é semelhante ao fermento que uma mulher escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo levedado. Jesus não explica essa parábola, mesmo porque é muito simples o seu entendimento. Observe os ensinamentos que podemos extrair:
Lição.
O reino dos céus
O reino era algo muito almejado pelos judeus, pois a vida inteira eles estiveram sob o domínio de outros povos, e isso fez com que, aguardassem desde os primórdios de Moisés um reino temporal político e soberano. “Reino” na verdade significa domínio e poder, soberania. Mas, o reino o qual, Jesus veio implantar na terra, não era um reino como os judeus esperavam, ou seja, um reino físico, político e geográfico, mas um reino de natureza espiritual, que aconteceria dentro do coração das vidas, das pessoas. É preciso que observemos que, sem Jesus na vida, o homem é guiado e conduzido pelas suas vontades. O “eu” é o nosso soberano; o centro de tudo, mas depois que entendemos a vontade de Deus, o “eu” deixa de ser o “senhor” para dar lugar ao Senhor Jesus. O reino de Deus, portanto não acontece num pedaço de terra, não se trata de um espaço físico; se existe um lugar, podemos dizer que este lugar é o coração das pessoas. Na oração ensinada por Jesus, ele pede que oremos pedindo: “venha nós o teu reino” – Mateus 6:9-15. Mas, como acontece o reino de Deus? O fermento simboliza neste contexto o evangelho de Jesus, ou seja, a sua palavra. Por isso, assim como o fermento tem o poder de contaminar uma massa inteira e torná-la volumosa, assim o evangelho na vida de uma pessoa - tem o poder de contagiar toda a estrutura humana; transformá-la em uma natureza nova. Mas, como é isso na prática? Isso funciona assim: todo o nosso comportamento, nosso estilo de vida o nosso jeito de pensar, não mais obedecem ao instinto do nosso “eu” – mas, obedecem aquilo que os evangelhos nos ensinam. Nas bem-aventuranças – Mateus 5.1-48 e 6.1-34 é possível se ter uma idéia do padrão de vida ensinado por Jesus. Nesse sermão Jesus, nos ensina amar até mesmo os nossos inimigos, orar pelos que nos perseguem. E nos ensina a sermos pacificadores, e não sermos ansiosos, etc.
A medida certa!
Ninguém que se propõe a fazer um bolo o faz de qualquer jeito sem saber ao certo o tamanho do pão e do bolo. O padeiro já sabe a medida certa de farinha, o contrário ele pode estragar a massa. Todos que lidam com massa de pão e de bolo, sabem qual a medida exata de farinha e de fermento; não pode ser mais e nem menos, pois o objetivo pode não ser alcançado. Por isso as três medidas de farinha mencionados na parábola, podem ser interpretadas da seguinte maneira:
Ingredientes
1)A primeira medida de farinha, é a nossa abertura para Jesus agir dentro de nós. Sem abertura, sem uma verdadeira entrega, não pode acontecer à levedura.
2)A segunda medida de farinha, é a nossa vida de oração. Aprenda a ter uma vida de intimidade com Deus. Se você não orar, você pode morrer espiritualmente. A oração sustenta a vida com Deus assim como o fermento sustenta a massa. Você pode orar em casa, no seu quarto; como pode orar com os demais irmãos na igreja, mas nunca deixe de orar. Orar é experiência com Deus e não um ato de devoção.
3)A terceira medida de farinha, é nossa dedicação ao estudo da Palavra de Deus. Não basta dizer sim a Deus, nem tão pouco orar, isso muitas pessoas fazem. As medidas de farinha só terão seus efeitos se a terceira medida for colocada na massa. Estudar a Palavra de Deus.
Importante
Você pode seguir o estudo do jeito que está aqui no programa. Mas fique a vontade para enfatizar aspectos que foram abordados. Por exemplo, quantas coisas podem ser exploradas nas “bem-aventuranças” ou nas medidas de farinha. Você pode enriquecer o estudo trazendo outros textos para explicar a importância da

Nenhum comentário:

Postar um comentário